top of page

Como proteger a sua voz durante o uso de máscara?




Não é por acaso que tantas vezes ouvimos a expressão “Dar voz a…” O ser humano é, na sua essência, um ser social que, todos os dias, nas suas mais variadas manifestações, comunica, tem algo a dizer. E é através da voz que, maioritariamente, exprime as suas ideias, pensamentos ou sentimentos, através da fala, mas também do canto. A voz é, igualmente, uma impressão digital, algo que nos define e nos torna únicos.


Já imaginou se, de repente, tivesse de alterar, de forma profunda, algo tão natural como a sua comunicação diária?


Foi precisamente esse um dos muitos desafios que a pandemia do vírus COVID-19 trouxe a cada um de nós. Com o uso das máscaras, grande parte da comunicação ficou comprometida.


O percurso da voz


A nossa expressão facial foi significativamente reduzida e a nossa voz também sofreu. Por que é que a nossa voz sofreu? Para compreendermos esse porquê, é importante conhecer o percurso da voz.


A voz inicia-se com o ar que é inspirado e segue para os pulmões.De seguida, na expiração, o ar atravessa as pregas vocais, situadas na laringe, que irão vibrar e, desta forma, será produzida a voz. A partir daí, a voz será amplificada na cabeça, onde se encontram o nariz, língua, lábios e dentes. Todas estas estruturas orofaciais estão envolvidas no processo da voz.

Desta forma, compreende-se que o uso de máscara irá comprometer tanto a respiração que é o “combustível” da voz, como a amplificação da mesma, já que as estruturas orofaciais que permitem esta função, veem a sua atividade dificultada.


As máscaras impedem o som de se propagar eficazmente, dificultam a compreensão da fala e de algumas vozes mais agudas. Além disso, as máscaras impedem a leitura labial e diminuem consideravelmente a capacidade de leitura das expressões faciais. A capacidade ventilatória para produção da voz diminui e, consequentemente, alterações ao nível da projeção vocal e levam ao aparecimento de comportamentos compensatórios (projeção de cabeça, aumento de tensões musculares e da intensidade vocal). Além disto, a própria articulação/dicção, também ficará constrangida.


Estratégias para proteger a sua voz durante o uso de máscara


Importa conhecer de que forma a utilização das máscaras interfere na qualidade vocal, mas não esquecer que o uso das mesmas continua a ser fundamental para a quebra da transmissão do vírus COVID-19. Desta forma, resta adotar algumas estratégias para que o uso das máscaras traga o menor prejuízo possível à nossa voz.


Eis algumas estratégias às quais podemos recorrer para proteger a nossa voz:


- Uma hidratação contínua. Devem ser ingeridos cerca de dois litros de água por dia e experimentar a inalação de vapores;


- O apoio respiratório também é deveras importante e, por isso, deve-se procurar respirar fundo e, lentamente, utilizar os músculos do abdómen e não os do pescoço para projetar a voz. Assim, irá diminuir-se a tensão laríngea e, por sua vez, permitirá a emissão de voz de uma forma mais confortável;


- Repouso vocal, sempre que possível. Diminuir o ruído de fundo. Se necessário, dirija-se para um local mais sossegado;


- Falar mais devagar;


- Diminua a ingestão de cafeína, álcool, refrigerantes e alimentos com alto teor de gordura, picantes ou ácidos;


- Suportar a comunicação verbal com a linguagem corporal, como por exemplo, o uso de gestos;


- Procurar utilizar frases mais curtas. No caso de ser imperativa uma exposição mais prolongada, optar pelo uso de outras tecnologias de apoio para complemento e reforço visual da informação que é ouvida;


- Recorrer a amplificadores de som (p.e. colunas), aplicações de telemóvel para amplificação do som e até aplicações de legendagem automática (p.e. Webcaptionner).

O vírus COVID-19 trouxe uma série de desafios e constrangimentos, mas também reforçou a capacidade de adaptação e de perseverança do ser humano e, de empatia pelo outro. Da mesma forma que é o nosso dever protegermo-nos a nós e aos outros, com a prática dos cuidados de higiene e uso de máscara, indicados pelo Serviço Nacional de Saúde, também é o nosso dever proteger a nossa Voz que é um bem tão essencial e comum a todos nós.

Mariana Rocha, Terapeuta da Fala da SpeechCare


254 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page